25 ANOS DE SUCESSO, O ROTEIRO DA CIDADE!

Colunistas

Coluna: Saúde dos olhos

07/07/2017
É possível enxergar bem sem óculos e lentes de contato?

Informe Publicitário

A cirurgia refrativa é o nome que damos à cirurgia para corrigir o grau de miopia, astigmatismo, hipermetropia ou presbiopia. Esses são os problemas popularmente conhecidos como “graus” ou ametropias.
As cirurgias refrativas a laser (PRK e LASIK) são as cirurgias mais utilizadas para a correção de grau. Elas alteram o formato da córnea, a lente mais externa do olho, eliminando a ametropia. O PRK é uma técnica que não utiliza cortes na córnea, mas tem um tempo de recuperação visual relativamente mais longo. O LASIK tem um resultado mais rápido mas implica em realizar um corte na córnea. Ambas tem vantagens e desvantagens e a indicação de cada técnica depende da espessura, da curvatura da córnea e de quantos graus serão corrigidos.
O implante de lentes intraoculares, seja elas com ou sem a retirada do cristalino, promove a correção sem alterar o formato da córnea. Em graus muito elevados ou córneas finas, elas são uma opção viável. No paciente que já possui dificuldade de visão para perto ( presbiopia ) e um início de catarata, pode-se optar pelas lentes intraoculares multifocais para resolver todos os problemas juntos: a catarata, o grau para longe (se necessário) e o grau para perto.
Cada técnica tem suas indicações em que se devem levar em conta a anatomia, a idade e o tipo de problema refrativo. Isto é, para cada procedimento existem as indicações específicas, por isso é importante discutir com seu oftalmologista sobre o seu caso, para depois escolherem juntos, qual a técnica mais adequada.
Leia também:
Leia também:
Leia também: